Senador Randolfe reforça apoio ao Programa Mais Médicos

Senador Randolfe Rodrigues em reunião com médicos do Programa Mais Médicos

O senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) e o prefeito Municipal de Macapá, Clécio Luís, reuniram com os 47 médicos do Programa Mais Médicos que atuam na capital, na segunda-feira (20) para reforçar apoio ao Programa. No último dia 15, o presidente do Senado Federal acatou a questão de ordem, apresentada pelo senador Randolfe, que defende a instalação imediata da comissão especial para aprovar a MP 723 que prorroga o “Mais Médicos”.

Avalia-se que cerca de 200 mil macapaenses correm o risco de ficar sem atendimento médico no próximo mês. A renovação dos contratos precisa ser realizada até o dia 30 de junho, só que o presidente em exercício, Michel Temer, não sinalizou interesse em prorrogar o programa . Dias antes de ser afastada, a presidente Dilma Rousseff editou a MP que renovaria o programa. Agora, Se a MP não for aprovada até dois de julho, o Mais Médicos será simplesmente extinto.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Macapá (Semsa), 54 médicos estrangeiros atuam na capital, seis deles já foram devolvidos, porque o contrato foi finalizado. Os profissionais atuam no acompanhamento básico e primário da Saúde da Família, principalmente em distritos da capital.

Caso Bailique

O Distrito do Bailique possuía, em 2010, uma população de 7.618 habitantes, e um total de 1.838 domicílios, segundo o IBGE. Durante anos não havia um médico fixo na localidade, hoje cinco médicos atendem a população. “Populações que antes viviam na marginalidade passaram a ter tem assistência com o programa. Como esse povo vai ficar?”, indaga o senador Randolfe.

Segundo a Semsa, o Bailique é um dos distritos que possui vaga para médicos. Em quatro anos a Prefeitura não conseguiu contratar um clínico geral, mesmo com a oferta de um salário de mais de R$ 20 mil, para trabalhar 20 dias e folgar 10.

Senador Randolfe Rodrigues reunido com os 47 médicos do Programa Mais Médicos que atendem no Amapá

Programa Mais Médicos

O Programa foi criado pelo Governo Federal para que médicos estrangeiros pudessem atuar no Brasil por 3 anos.  Os primeiros profissionais completam o prazo em julho. Em Macapá, são 14 médicos que devem retornar para Cuba, já que o visto e passaporte tem prazo de validade do programa.

Em todo o Brasil, os médicos atuam em 4.058 cidades, 73% dos municípios brasileiros, e em 34 distritos dedicados às comunidades indígenas, hoje atendidas por 300 médicos do programa. Pesquisas independentes, segundo o senador, mostram que a maioria de 86% dos entrevistados afirma que a qualidade da atenção melhorou após a chegada dos profissionais do “Mais Médicos” e 60% destacaram a presença constante do médico e o cumprimento da carga horária.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *