Senador Randolfe vai trazer 1º Céu das Artes do Amapá

Macapá pode receber o seu primeiro “Céu das Artes”, um centro de cultura e artes para a população carente. O senador Randolfe Rodrigues (PSOL) em conversa com Éden Paulo, secretário de Manutenção Urbanística de Macapá (SEMDUR), representantes da Agência de Desenvolvimento do Amapá (ADAP), a titular da Fundação da Cultura, Márcia Correa e Guairacá Nunes deram o primeiro passo para a construção do ponto na capital.

O grupo tratou da liberação de terras no município para a construção de um “Céu das Artes”, um programa do Ministério da Cultura, que nada mais é que um complexo que possibilita o acesso da comunidade a cultura, artes, esportes, lazer e educação. O centro deve ser construído no Amapá por meio de uma emenda no valor de R$500mil, a ser liberada no primeiro semestre deste ano. O local onde funcionará o Céu ainda será escolhido, o secretário presentou três opções de áreas que podem ser utilizadas, duas na Zona Norte e uma na Zona Sul.

“É importante discutirmos com as equipes técnicas e as partes integrantes dos projetos para que as nossas iniciativas possam ser executáveis”, explicou o senador Randolfe. Além do assunto, eles também trataram sobre a emenda alocada pelo senador Randolfe, no valor de R$2 milhões, que será destinada a construção do Memorial Janary Gentil Nunes, um complexo turístico e histórico no distrito da Fazendinha. O secretário afirmou que a área em questão será disponibilizada para a construção do complexo. “O Céu das Artes e o Memorial Janary Gentil Nunes são marcos no desenvolvimento turístico e cultural do Estado”, completou.

Randolfe propõe homenagem aos 16 anos da Rede Vida

Nesta terça-feira (21) o Senado Federal irá homenagear a Rede Vida de Televisão, que completa 16 anos nesta segunda-feira (20).  A homenagem proposta por requerimento do Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), está prevista para  às 14h, durante o expediente, momento antes da sessão deliberativa do Senado.

Para o senador amapaense a Rede Vida tem uma programação “aberta e voltada ao debate de questões importantes e de interesse da coletividade, como religião, economia, política, cultura e esportes, sendo hoje uma referência para toda a família cristã brasileira”.

No Amapá e no Brasil, a população já teve a oportunidade de acompanhar e conhecer um pouco do trabalho de Randolfe, pela  programação da Rede Vida.  Em março desse ano, ele foi o entrevistado, ao vivo, do Programa Tribuna Independente.  Durante o programa, o Senador falou de sua trajetória política, do cenário político no Amapá, além de suas principais lutas no Senado Federal.  O programa foi um sucesso de audiência e o senador recebeu diversas perguntas, elogios e sugestões, via fax, e-mail e twitter do programa, além do reconhecimento de diversos senadores que o parabenizaram pela entrevista.

Sua segunda participação na emissora foi no dia 30 de maio, no programa, Frente a Frente, apresentado por Denise Rothenburg e Leandro Mazzini.  O tema foi a CPI do Ecad, proposta por Randolfe em maio desse ano e que deve ser instalada na próxima semana.

Rede Vida- Fundada no dia 1º de maio de 1995, a Rede Vida transmite em sua programação missas, novenas e celebrações católicas do país. Veicula ainda entrevistas; programas jornalísticos nas áreas de cultura, informação e esporte; programas de entretenimento e infantis. Seu sinal é captado por todo o Brasil via satélite, além de ser transmitido por meio de suas afiliadas e das 445 retransmissoras localizadas nos estados.

Randolfe Rodrigues quer CPI para investigar o Ecad

O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) anunciou, nesta quinta-feira (5) no Plenário, que está
recolhendo assinaturas para instalar uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) com o objetivo de investigar as atividades do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição de Direitos Autorais (Ecad).

Segundo o senador, a CPI vai investigar supostas irregularidades praticadas pelo Ecad na administração dos direitos autorais e a possibilidade de existência de cartel no arbitramento de valores de direitos de artistas. A CPI também permitiria conhecer o modelo de gestão da organização.

Segundo o senador, a CPI não tem a ver com “qualquer intenção de extinguir o Ecad”, mas busca incentivar a transparência no escritório. Segundo Rodrigues, a movimentação financeira do Ecad é superior ao orçamento do Ministério da Cultura.

– As atividades do Ecad precisam ser fiscalizadas. Transparência é importante para o Brasil e, neste caso em especial, para a classe artística – afirmou o senador.

 

Da Redação / Agência Senado
(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)