Cerca de 250 pessoas discutiram impactos do Petróleo no Amapá

O evento foi promovido pelo mandato do senador Randolfe e a FIEAP e reuniu IBAMA e ANP

O seminário “Petróleo do Amapá: os impactos na vida do povo”, promovido pelo senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e Federação das Indústrias do Estado do Amapá (FIEAP), com o apoio da Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA). Cerca de 250 pessoas participaram do evento, que discutir sobre os impactos econômicos e ambientais que podem ocorrer no Amapá, em consequência descoberta de petróleo na costa norte do Estado.

De acordo com o IBAMA, no Amapá serão perfurados pelos menos 12 poços na região, com profundidade de 180 metros à 3 mil metros. A Agência Nacional do Petróleo (ANP) alertou para a necessidade do Amapá se preparar para atender o novo mercado, na questão de logística e mão de obra especializada. “O Estado ainda não está preparado para está oportunidade de desenvolvimento”, afirmou Silvio Jablonski.

“O Amapá tem que agarrar essa chance de crescer. Precisamos de investimentos em estrutura logística para atender as empresas e preparar o povo para trabalhar nessa nova frente, não podemos repetir os erros do passado”, disse Randolfe relembrando a experiência com a exploração de manganês, em Serra do Navio.

Na 11ª rodada do leilão da ANP, foram habilitadas 10 empresas para exploração na Bacia da Foz do Amazonas, a que recebeu a maior oferta as se na história dos leilões da ANP, um lance de R$ 345,9 milhões, dado pelo consórcio formado pela francesa Total (40%), Petrobras (30%) e a britânica BP (30%). O contrato de concessão será assinado no mês de Agosto e as empresa vão começar a se instalar no Estado. Serão pelo menos 3 anos de pesquisa até de iniciarem as perfurações.

As discussões não se encerram por aqui, o senador Randolfe propôs uma Audiência Pública conjunta, no Senado Federal, que deve acontecer no próximo mês, para discutir a exploração de petróleo na Bacia da Foz do Amazonas.

PNE será discutido em seminário no Amapá

Mandato do Senador Randolfe, Prefeitura de Macapá e Sinsepeap discutem o Plano Nacional de Educação.

Acontece na próxima sexta-feira (14), às 14h, no Centro de Difusão Azevedo Picanço, o Seminário “Plano Nacional de Educação: a Educação que o Brasil precisa”, uma realização do mandato do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) com apoio da Prefeitura de Macapá e Sindicato dos Servidores Públicos em Educação do Amapá (SINSEPEAP), com a presença do Lúcia Isabel Silva, da Campanha Nacional pelo Direito à Educação e da presidente do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES), Marinalva Oliveira.

O evento tem como objetivo promover o debate sobre o Plano Nacional da Educação (PNE), que nada mais é que o conjunto de ações que serão realizadas em 10 anos. O projeto de lei que estabelece o PNE foi aprovado pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, no mês de maio. O novo texto incorporou algumas das propostas e deixou de fora parte das conquistas alcançadas na votação ocorrida Câmara dos Deputados, no final de 2012.

Por exemplo, a nova versão garante a todas as crianças, com ou sem necessidades educacionais especiais, o direito de aprender. Por outro lado, o texto continua sem tratar da existência de salas de recurso, o que é um ponto de atenção. Seria importante que esse direito estivesse explícito na lei.

Inscrições gratuitas, basta preencher este formulário ou fazer a inscrição no início do evento, até atingir o número máximo de 200 participantes.

PROGRAMAÇÃO
LOCAL: Centro de Difusão Cultural Azevedo Picanço
DIA: 14 DE JUNHO DE 2013 (SEXTA-FEIRA)
Horário: 14h às 18h
14h – Credenciamento
15h – Abertura
15h30 – Exposição:
1. Mesa – Lúcia Isabel da Conceição Silva – Campanha Nacional pelo Direito à Educação
2. Mesa – Senador Randolfe (emenda ao PNE) – ANDES e SINSEPEAP
17h – Perguntas e questionamentos do público, após encerramento e entrega dos certificados

Palestrantes:
Lúcia Isabel da Conceição Silva – Professora da disciplina Política Educacional do Instituto de Ciências da Educação da Universidade Federal do Pará; Doutora em Teoria e Pesquisa do Comportamento pela Universidade Federal do Pará; Coordenadora do Comitê – Pará da Campanha Nacional pelo Direito à Educação; Membro do Fórum Estadual de Educação / Pará. Coordena projetos de pesquisa sobre politicas públicas educacionais e políticas de Juventude.
Marinalva Oliveira – Mestre e doutora em Psicologia, com pesquisas direcionadas à inclusão escolar e social de pessoas com deficiência, professora da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) e presidente da Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior (ANDES).
Randolfe Rodrigues – é mestre em Políticas Públicas pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), historiador e professor da rede pública estadual de ensino e Senador da República pelo PSOL-AP.
Aroldo Rabelo – é administrador e professor de história na rede pública estadual de ensino e presidente do SINSEPEAP (Sindicato dos Servidores Públicos em Educação do Amapá).

Seminário vai discutir a exploração e produção de Petróleo no AP

Senador Randolfe, FIEAP e ACIA realizarão seminário sobre a questão do petróleo na Costa do Estado. ANP e Petrobrás confirmaram presença.

No próximo dia 21, o Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), a Federação das Indústrias do Estado do Amapá (FIEAP) e a Associação Comercial e Industrial do Amapá (ACIA) realizarão o seminário “Petróleo do Amapá: da dádiva da natureza aos impactos na vida do povo”. A iniciativa vai contar com a presença de representantes da Petrobras e da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O evento será realizado no auditório do SESI, com entrada gratuita.

“Nós temos que entender os processos e nos credenciar para os serviços, assim garantir que a riqueza fique no Amapá”, afirmou Randolfe. Na 11ª rodada do leilão da ANP, foram habilitadas 10 empresas para exploração na Bacia da Foz do Amazonas, a que recebeu a maior oferta as se na história dos leilões da ANP, um lance de R$ 345,9 milhões, dado pelo consórcio formado pela francesa Total (40%), Petrobras (30%) e a britânica BP (30%).

A assinatura do contrato de concessão será realizada em agosto. A expectativa é de que a produção na Foz do Amazonas chegue a uma marca entre 500 mil e 1 milhão de barris de petróleo por dia. “Uma oportunidade ímpar de desenvolver o Amapá”, afirmou o presidente da ANP.

O Estado terá inúmeros desafios nos próximos anos, como: investimentos em logística para o escoamento da produção, formação de mão de obra qualificada e bem como, a preparação dos fornecedores.

Mobilização – No mês passado, acompanhado da presidente FIEAP, Jozi Rocha, vice-prefeito de Macapá Allan Sales, presidente da Companhia de Gás do Amapá, Rubens Gemaque e os deputados federais Bala Rocha e Vinicius Gurgel, o senador Randolfe esteve na sede da ANP e do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustível (IBP), para obter mais informações sobre a exploração de petróleo na região. Também será realizada uma audiência pública conjunta para discutir a exploração de petróleo na Bacia da Foz do Amazonas, no Senado.

Senador Randolfe comemora participação dos gestores no Seminário Cidades Eficientes

Prefeitos, secretários e técnicos dos 16 municípios do Amapá participaram do seminário “Cidades Eficientes: como captar recursos e desenvolver cidades”, promovido pelo mandato do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), em parceira com a Caixa Econômica Federal e apoio da Associação dos Municípios do Estado do Amapá (Ameap), na última sexta-feira (01).

A principal palestra do encontro foi apresentada pelo o secretário de Relações Institucionais e subchefe adjunto da Presidência da República, Olmo Xavier, que falou  quais os caminhos para os gestores acessarem os recursos federais. “Nossa ideia aqui é explicar sobre os programas do Governo Federal e orientar os gestores e técnicos das Prefeituras. No primeiro ano de mandato, os novos prefeitos apresentam dificuldades para acessar recursos da União, pelo fato de desconhecerem regras e trâmites dos processos”, afirmou.

O senador Randolfe Rodrigues ressaltou que é essencial os municípios, mesmo os menores, captarem recursos federais essenciais para o desenvolvimento e para a boa gestão das cidades. “O Fundo de Participação dos Municípios (FPM) mal dá para pagar a Folha de Pagamento. Portanto, é primordial que os prefeitos e equipes técnicas saibam como proceder para captar verbas da União e assim trabalhar para garanti o bem estar da população”, afirmou o senador.

Prefeito da maior cidade do Estado, a capital Macapá, onde vive a maioria da população amapaense, Clécio Luís parabeniza a iniciativa do senador. “Essa orientação é fundamental para nós, prefeitos. Com essas informações sobre o ciclo processual e as regras legais que estão inseridas no trâmite para captar verba federal, poderemos trabalhar com condições de melhorar a vida da população”, disse o prefeito.

No Amapá, dos 16 municípios, 85% tiveram os gestores renovados. A Caixa junto com a AMEAP decidiram um  calendário de atendimentos individual dos prefeitos a partir de segunda-feira (04), para saberem quais caminhos as prefeituras podem tomar, quais os programas federais disponíveis que podem ser acessados. No final do seminário foram entregues cartilhas que podem orientar os prefeitos dos prazos e ações necessária para acessar os recursos federais.

Cidades Eficientes: seminário vai capacitar gestores para acessar os recursos federais

Senador Randolfe junto com a Caixa e a AMEAP convidaram os gestores municipais para mostrar os caminhos para acessar os recursos federais

O seminário “Cidades Eficientes: como captar recursos e desenvolver cidades” é uma iniciativa do mandato do Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) em parceira com a Caixa Econômica Federal e apoio da Associação dos Municípios do Estado do Amapá (AMEAP). Acontece na próxima sexta-feira (01), às 14h, no auditório da Caixa, na Av. Pedro Lazarino, no Buritizal. A palestra principal será ministrada pelo Secretário de Relações Institucionais Sub-chefe Adjunto da Presidência da República, Olmo Xavier. Todos os prefeitos, secretários e técnicos dos 16 municípios do Estado foram convidados.

A ideia é estimular que todas as prefeituras estejam aptas a receber os recursos federais e orientar os caminhos de como podem ser acessados estes recursos, valores que podem ser aplicados em diversas áreas, como saúde e educação, por exemplo. “Só ciente de sua responsabilidade, o gestor municipal pode organizar a máquina pública para atender às demandas da população, tornando-se um agente comprometido e promotor de políticas públicas”, afirma o senador Randolfe.

O seminário vai contar com uma palestra dos técnicos da Caixa, com o tema: Como desenvolver cidades e a apresentação do Subchefe Adjunto da Presidência da República, Olmo Xavier sobre o tema: “Como captar recursos federais”. Após será aberto o momento dos questionamentos e debate.

Também será distribuída aos participantes a cartilha “Encontro Nacional com novos prefeitos e prefeitas”, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.

Serviço:
– Palestra: Como captar recursos federais – Olmo Xavier – Subchefe Adjunto – SAF/SRI – Presidência da República
– Palestra: Como desenvolver cidades – Técnicos da Caixa
– Debate

HORA: 14h às 19h30
DATA: Sexta-feira (01)
LOCAL: Auditório da Caixa Econômica Federal (Av. Pedro Lazarino – Buritizal)
PÚBLICO: Exclusivo para prefeitos, secretários e técnicos